A incrível migração dos animais na Tanzânia

por   Natalia Manczyk
0 Comentários
Migração dos animais na Tanzânia com zebras e gnus

Ver ao vivo essas cenas da migração dos animais na Tanzânia foi inesquecível. E vou contar um pouco aqui do making of.

Depois de pegar um voo em um aviãozinho de doze lugares, de uma outra área do Serengueti, eu havia desembarcado de manhã ali, em Kogatende, onde estava rolando a migração dos animais. Seguimos com  o carro até a margem do rio para esperar que os gnus atravessassem. No caminho, encontrei duas famílias de elefantes e algumas zebras, mas as estrelas do dia eram para ser os gnus.

A espera leva horas. E não cansa nenhum pouco esperá-los. Esse grupo é o segundo que eu tinha visto, porque o primeiro grupo havia desistido de atravessar. O que acontece é que ficam todos os gnus na margem aguardando que um primeiro gnu tome a decisão de se aventurar e descer para a água, já que no rio o perigo são os crocodilos e as pedras que podem fazê-los quebrar a pata. Assim que o primeiro corajoso desce, geralmente o mais velho, todos os outros seguem correndo atrás:

No primeiro dia em que vi a migração, um filhote de  gnu foi agarrado por um crocodilo no meio do rio.  A mãe tentou salvá-lo, mas quase foi pega tambem. Então, teve que virar as costas e deixar o filhote ali agonizando. Enquanto todos os gnus corriam assim que alcançavam a margem, ela andava cabisbaixa. Voltou para a margem mais uma vez para olhar o filhote e entao seguiu caminhando sempre devagar e com a cabeça para o chão (o vídeo está aí embaixo).

Leia mais:

Mais uma tristeza foi ver um gnu ter quebrado a perna durante a travessia. Ele até conseguiu chegar à outra margem, mas tentava caminhar e não conseguia. Acabou sendo deixado ali sozinho pelos outros, e por nós que infelizmente não podíamos fazer nada, a não ser deixar a vida seguir naturalmente  – como sempre acontece no Serengueti. 

 

No segundo dia, os gnus foram ajudados pelas zebras, o que é comum já que elas são bem mais espertas que eles. As zebras ficam na margem, tentando achar o melhor lugar para que os gnus desçam. Apontam o caminho, mas sobem para a margem de novo.  Esperam praticamente todos os gnus atravessarem, e só aí, depois de verem onde tem crocodilos e pedras, é que elas atravessam para a outra margem: e bem mais rápido e com bem mais agilidade do que os gnus. Neste dia, por exemplo, um crocodilo tentou agarrar a zebra, mas ela conseguiu fugir. As centenas de animais saíram vitoriosos e foram aplaudidos por todos nós, que assistíamos a esse show ali pertinho.

 

Desculpem por não ter filmado a travessia das zebras, mas é que eu tinha um segundo para decidir entre fotografar ou filmar e acabei fotografando. Então, vão algumas fotos aí embaixo:

Travessia das zebras no Serengueti Travessia das zebras no Serengueti O sucesso pós travessia! Imagens da margem onde a gente estava esperando os animais:

Depois da travessia no Serengueti Depois da travessia no Serengueti

 

 

Você também pode gostar de