África do Sul: roteiro completo de 15 dias

por   Natalia Manczyk
0 Comentários
Roteiro África do Sul para você saber quais locais visitar

A África do Sul é um dos países mais lindos do mundo e tem tanto o que fazer que acabei indo duas vezes. Na minha primeira viagem  para lá, fiz um roteiro pela África do Sul de carro de Port Elizabeth a Cape Town (e fiz o safari perto de Port Elizabeth, o ótimo Shamwari).

Na segunda vez, repeti esse caminho (a Rota Jardim), mas também fui para Oudtshoorn, Joanesburgo, fiz a Rota Panorâmica, a Rota 62 e fui para o Kruger. Assim, já que não é fácil montar o roteiro na África do Sul, estou dando uma ajudinha, várias dicas e compartilhando com vocês meu roteiro de 15 dias na África do Sul.

Para não ficar grande demais, nesta primeira parte vai meu roteiro pela Rota Jardim, e nos posts seguintes compartilho com vocês o roteiro em Cape Town, Johannesburgo, a Rota Panorâmica e o Kruger.

Organize a sua viagem:

DIA 1- Roteiro África do Sul:  Voo São Paulo – Johannesburgo – Port Elizabeth (e trecho de carro de Port Elizabeth a Jeffrey’s Bay)

MANHÃ:
  • Como tirei a passagem para a África do Sul com milhas,o trecho para Cape Town saía bem mais caro do que para Johannesburgo. Então, consegui o trecho para Johannesburgo por 25 mil milhas da Multiplus no Natal (dia 24 de dezembro) e comprei o trecho Johannesburgo-Port Elizabeth com a South African Airways. Essa, certamente, é uma opção caso a passagem ou a quantidade de milhas para Cape Town estejam muito altas.
  • De Port Elizabeth, aluguei um carro para seguir por 800 km até Cape Town. Na saída do aeroporto de Port Elizabeth, as locadoras de carros estão uma do lado da outra. Assim, pode até ser que você encontre carro na hora mas é melhor já chegar com o carro alugado pela internet, porque em datas concorridas (como o Natal e o ano novo) não vai ter carro disponível.

Organize a sua viagem: 

TARDE:

roteiro-15-dias-na-africa-do-sul

  • Peguei o carro e fui direto para Jeffrey’s Bay, que é a cidade dos surfistas. A princípio, indico o hotel onde fiquei lá, o Sea Echo Accommodation. É uma casa de dois senhores bem simpáticos, que lembra muito casa de vó. Tem um jardim gostoso e vista linda para a praia. Dessa forma, é simples e tranquilo, então se você não estiver nesse clima de descanso, tem mais opções de hoteis em Jeffrey’s Bay aqui.
NOITE:
  • Jantei no Spur, uma rede de restaurante da África do Sul, que você vai encontrar em todo o país. Tem sanduíches e carnes muito bem servidas, com molho de queijo ou molho de camarão (em outras palavras, meio estranha a combinação).

Dia 2- Roteiro África do Sul: Caminho de Jeffrey’s Bay para Plettenberg Bay

MANHÃ:
  • A princípio, tomei café da manhã no Nina’s, um restaurante com cara de Califórnia ou Austrália, todo descolado, com decoração de surf, cheio de opcões naturais, e onde vão os surfistas turistas e os moradores da cidade.
  • Praia em Jeffrey’s Bay – o mar é agitado e mais para surfistas, mas tomar sol naquela praiona é uma delícia.

Veja mais:

TARDE:
  • Passeio pelo Tsitsikamma National Park – Coloquem no roteiro porque esse parque é imperdível! Tem várias trilhas onde, posteriormente, você chega em uma vista que compreende o encontro do rio com o mar azulzinho. Dica: primeiramente tomem um café da manhã reforçado, para dar certo de almoçar no parque depois das trilhas. Posteriormente é possível ir ao restaurante White Tend, que serve um peixe saboroso para comer assistindo ao mar bater nas pedras.

 

 

  • Saída para Plettenberg Bay no fim da tarde
  • Parei na praia central de Plettenberg, ainda com as malas para tomar uma cerveja em um dos bares dali. Apesar de ser o ponto mais famoso, o lugar com mais restaurantes, bares e lojas é a Main Street. Assim fui direto para lá, onde era meu hotel. Aliás, uma boa localização em Plettenberg Bay é perto da Main Street. Vejam a oferta de hotéis em Plettenberg Bay.

Veja mais: 

NOITE:
  • De noite, uma boa é passear na Main Street, para visitar o trecho mais agitado de Plettenberg Bay.

Dia 3- Roteiro África do Sul: Dia em Plettenberg Bay

MANHÃ:
  • Café da manhã no Clare’s. Sabem aqueles cafés onde tudo é bom? esse éassim, tanto que fui dois dias seguidos. Tem várias opções de sucos naturais, sanduiches (bem grandes, aliás), granola com iogurte e tal. Fica na Main Street, e recomendo.

 

TARDE:
    • Knysna Elephant Park: Resolvi em cima da hora ir a esse parque dos elefantes, então vai a dica: se vocês quiserem só alimentar os elefantes é fácil conseguir ingresso na hora. Mas para quem quer andar no elefante, é preciso comprar o passeio pela internet com antecedência (quando fui, por exemplo, só tinha disponível para dois meses depois)
    • Waterfront de Knysna: Não percam. É cheio de lojas de artesanato e restaurantes locais.
    • Resolvi passar o fim da tarde na praia de Plettenberg Bay – apesar de a praia central ser certamente a mais famosa, o melhor é ir na praia Look Out. Logo, se quiser ver gente, na ponta da praia fica um restaurante bem animado, o Equinox;
    • Outra opção para a tarde é ir aos parques de animais: tem o Monkeyland, o Birds of Eden (o que mais gostei porque tem pássaros de cores inimagináveis) e o Lawnwood Snake Sanctuary. Esses eu visitei anteriormente, da outra vez que fui para África do Sul.

Dia 4- Roteiro África do Sul: Caminho de Plettenberg Bay para Oudtshoorn

MANHÃ
  • Parque Robberg – Se vocês viajassem para a África do Sul e só conseguissem ir nesse parque, a viagem toda certamente já valeria a pena. As trilhas são do lado do mar, na frente de uma montanha e entre as pedras. São três trilhas: uma de 2km bem facinha, uma intermediária de 5 km (que foi a que trilha que segui. Dessa forma, ela leva até uma ilha e uma praia na frente de dunas de areia), e uma trilha de 11 km mais pesada. Seja qual for a trilha, a dica é: não deixem de ir ao parque Robberg.
  • Almoço no Waterfront de Knysna

TARDE
  • Estrada de Plettenberg Bay para Oudtshoorn. A cidade é no interior, então vocês vão deixar de lado o caminho que margeia a costa para pegar uma estrada que passa ao lado de montanhas, canyons e várias plantações bucólicas. Só a estrada já vale a pena e a vontade é de parar a cada minuto para tirar fotos.
NOITE
  • Jantar em Oudtshoorn no restaurante La Dolce Vitta. O lugar é super aconchegante, tem bancos de madeira a céu aberto e os pratos de massa são grande, muito bem servidos.

Dia 5- Roteiro África do Sul: passeios em Oudtshoorn e estrada de Oudtshoorn para Cape Town

MANHÃ

  • Em Oudtshoorn, o lance é a criação de avestruzes (tanto que lá você vai ver por todo lado ovos gigantes de avestruz) e a caverna da cidade, descoberta em 1782. Ela tem 4,5 km, e os visitantes têm acesso a 1,2 km desse total. Mesmo assim, é impressionante. A galeria é tão grande que já foi usada como sala de concertos (no tempo em que a conservação da natureza não era levada tão a sério, né). 

TARDE

  • Para ir de Oudtshoorn para Cape Town, eu tinha duas opções: voltar para a N2, a estrada que me acompanhou por toda a Rota Jardim ou conhecer uma estrada diferente, a Rota 62 (Vejam os hoteis da Rota 62 aqui). Na outra viagem que fiz pela África do Sul, peguei sempre a N2, e a partir de George ela não tem nada demais. Já a Rota 62 é uma das mais cênicas da África do Sul e tem mais vantagens: não tem trânsito nem radares como a N2. Ela passa do lado de cânions e montanhas gigantescas durante todo o trajeto, então saiam com tempo o suficiente para ir apreciando a estrada e parando nos mirantes e nas cidadezinhas.

Alguns pontos para parar e visitar na estrada de Oudtshoorn para Cape Town

  •  Mirante Huisvoerpas
  • A cidade Barrydale: está nos pés da montanha e por isso é bem fotogênica
  • Montagu: é mais uma cidade nos pés da montanha. Vale a pena fazer um desvio da estrada para dar uma volta de carro mesmo pela cidade. Ela é cheia de casinhas brancas no estilo Cape Dutch
  • Parlamat Cheese Factory – É uma loja da Parmalat a poucos metros da fábrica. A dica é parar lá para fazer umas compras de comidinhas para a viagem. Os produtos são fresquíssimos (claro) e bem mais baratos do que no mercado. Além disso, dá para encontrar uns cream cheese de sabor diferente, queijos, iogurtes e sorvetes.
  • Robertson: é a cidade das vinícolas. Elas estão em sequência, uma ao lado da outra, na beira da estrada e na frente de montanhas avermelhadas gigantescas
  • Entre Robertson e Paarl, preparem as câmeras. A estrada passa entre as montanhas e você vai se sentir em um filme de O Senhor dos Anéis

NOITE:

Chegada em Cape Town!

O mirante Huisvoerpas

A cidade de Barrydale

A estrada chegando perto de Cape Town fica assim!

Resumo da parte 2 do roteiro na África do Sul

Para o post não ficar muito grande (já que estou citando tudo o que eu fiz na África do Sul em cada dia), aqui vai um resumo do outro trecho do meu roteiro de 15 dias pela África do Sul. As informações mais aprofundadas sobre o que fazer em Cape Town vocês podem ver aqui.

Gostou do conteúdo que você leu? Então planeje aqui a sua viagem

Você não paga a mais por isso, tem direito a descontos e ajuda o Porta de Embarque a produzir ainda mais conteúdo

Seguro viagem com o melhor preço. Compare o preço de todos os seguros viagem, escolha o seu e ainda ganhe 5% de desconto

Reserve seu hotel no Booking.com. Você encontra ofertas de hospedagem e ainda pode cancelar quando quiser

Alugue seu carro comparando o preço em mais de 100 locadoras. E o que é melhor: sem IOF e com parcelas de até 12 vezes sem juros.

Viaje conectado. Tenha chip de internet no celular funcionando sempre bem e com desconto de 5%. É so digitar o cupom PORTADEEMBARQUE5.

 

0 Comentários
17

Você também pode gostar de

Deixe um comentário