O que fazer em Curaçao: roteiro de sete dias

por   Natalia Manczyk
0 Comentários
O que fazer em Curaçao: roteiro de sete dias

Eu já tinha passado um dia em Curaçao em uma parada de cruzeiro, e querem saber? Voltei e vale muito a pena ficar sete dias porque tem muito o que fazer em Curaçao.

Só assim para conseguir conhecer e aproveitar o país sem correria, com descanso total, como manda Curaçao.

A ilha é uma das mais bonitas do Caribe. Fica do lado de Aruba e Bonaire (é  o “C do” ABC das Antilhas holandesas) e para a sorte dos viajantes não está na rota dos furacões (que podem atingir o Caribe de junho a setembro), o que quer dizer que é possível ir o ano todo para lá.

Seja janeiro seja julho, vejam tudo o que fazer na ilha de Curaçao com este roteiro de sete dias aproveitável o ano todo.

Dia 1 em Curaçao

O dia da chegada em Curaçao envolve carregar malas, encontrar o transfer, alugar carro, fazer check in no hotel, etc.

Mesmo com um voo curto, todos esse trâmites levam tempo e é bem provável que você não queira aproveitar só um restinho de sol na praia.

A maioria dos hotéis de Curaçao são de frente para a praia ou têm boas piscinas. Então, o melhor é tirar esse dia para isso: curtir o hotel.

 Oferta de hotéis em Curaçao

Praia de Curacao_

Dia 2 em Curaçao

O passeio imperdível de Curaçao é para a ilhota Klein Curaçao (“pequena Curaçao”, em papiamento, o idioma da ilha), que tem aquele mar azul absurdamente fosforescente, de um tom quase inacreditável. Se você é do tipo ansioso e já quer ver o melhor logo no início, então esse é o dia.

Como é o passeio?

São cerca de duas horas a Klein Curacao, a bordo de um catamarã à vela que sai da Jan Thiel Beach às segundas, terças, quartas, quintas e sábados.

O barco, da Bluefinn Charters, é grande (tem 75 pés), com capacidade para algumas dezenas de pessoas, e muito bem equipado. Conta com bar, dois banheiros e aquelas redes instagramáveis na proa.

A impressão é de que a viagem será calma, inofensiva, e de contemplação com um drinque nas mãos, deitado na rede. Mas é só impressão.

No trecho de ida para Klein Curaçao o barco segue contra o vento e vai batendo nas ondas, em um balanço digno de colocar o Dramin à prova.

As ondas vão molhando a galera que insiste em ficar na frente do barco (vulgo eu), mas lá para o meio do caminho 100% dos turistas desistem de ficar ao ar livre e já estão quietinhos sentados no banco.

Catamara_Klein Curacao_O que fazer em Curacao

Mas, tudo bem. Porque quando a lancha vai se aproximando de Klein Curaçao, ninguém mais lembra do enjoo. O mar de repente ganha um azul daqueles tons que só parecem feitos em Photoshop.

Fica todo mundo meio embasbacado por um tempo até enfim desembarcar para a ilhota. Klein Curaçao é pequena, sem moradores, sem estrutura alguma, e por isso com todo o jeito de paradisíaca.

KleinCuracao3-Oque fazer em Curacao

A ilha

Mede só 1,7 km e não tem vendedores, guarda-sóis, cadeiras, bares ou qualquer outra coisa que estrague a paisagem.

A única construção é um farol que enfeita o meio da ilha e só. Ainda bem. O negócio ali tirar muitas fotos daquela água azul que deixa impressionado, nadar naquele mar sem ondas e fazer snorkel (incluído no passeio de barco).

É área de tartarugas, então se você tiver sorte pode ser até que aviste algumas ali deixando o lugar ainda mais mágico.

KleinCuracao3-Oque fazer em Curacao

 

Veja mais:

É difícil enjoar daquele mar, mas para variar um pouco de cenário, faça uma caminhada até a outra costa da ilha.

Você vai passar por uma paisagem árida, um farol abandonado (onde é possível subir para ter uma vista fenomenal) e por um antigo navio encalhado.

Naquela costa, o mar já é bem diferente: é revolto e impossível entrar por conta da quantidade de pedras.

Forte em Klein Curacao _oque fazer em Curacao

Por volta das 12h30 é servido um gostoso churrasco a bordo do barco atracado (se você achava que churrasco bom era só o brasileiro, está aí a prova), junto com refrigerante à vontade.

O barco só volta para Curaçao às 3 da tarde, deixando tempo o suficiente para todo mundo curtir a ilha, sem aquela correria de muitos tours.

Na volta, música holandesa, latina e brasileira, bebidas alcoólicas a bordo e um mar mansinho fazem desse retorno uma festa agradável: com todo mundo dançando, bebendo, descansando ou tomando o resto de sol que ainda ilumina o céu.

Dia 3 em Curaçao

É preciso tirar um dia para conhecer o centrinho de Curaçao. A capital, Willemstad, é tão gracinha que foi inclusive eleita Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco.

Naquele trecho não tem praia (é uma baía), mas o mar está sempre ali deixando a área mais bonita. As construções, em estilo holandês e tons pasteis, foram erguidas em 1634, e, muito bem preservadas, abrigam vários bares, restaurantes e lojas.

O lugar mais animado para ver as lojas é a área de Punda.  Cheguem até a loja Penha, um casarão de 1708 que foi moradia de famílias judias e hoje abriga uma loja de maquiagem.

Willemstaad_o que fazer em Curacao

Willemstaad-O que fazer em Curacao

A sinagoga mais antiga da América

É em Punda também que está a sinagoga mais antiga da América em funcionamento continuo: a sinagoga Mikvé Israel-Emanuel.

É típica sefaradita (dos judeus da península ibérica) e foi construída em 1732. O piso é de areia e está muito bem conservada. Judeus, como eu, vão lembrar das tradições, ver objetos judaicos centenários importantes no museu (como uma torá de 1455 e uma mezuza de 1740) e saber mais da comunidade.

Algumas curiosidades: mesmo durante a Segunda Guerra o serviço religioso não foi paralisado, o órgão é o mais antigo do Caribe e até 1875 o serviço era em português.

Isso porque a sinagoga tem tudo a ver com o Brasil e expõe a relação entre o nosso país e Curaçao: quem fundou a sinagoga foram os brasileiros que, quando os holandeses foram expulsos do Brasil, seguiram para Curaçao com medo de serem perseguidos pela Inquisição.

Sinagoga de Curacao-O que fazer em Curacao

Sinagoga de Curacao_o que fazer em Curacao

A ponte Queen Emma

Da sinagoga, passe na famosa ponte de Curaçao: a Queen Emma. Parece estranho pensar que uma ponte é atração turística, mas é.

Primeiro, porque conecta a duas principais regiões: Punda a Otrobanda ( o nome do bairro significa outro lado). Segundo, porque tem vista para as casas coloridas do centrinho, e terceiro porque é uma ponte móvel que se abre para os barcos passarem.

Pode ser que vocês estejam ali em cima e toque um alarme para para sair pouco antes de a ponte abrir. É divertido ser rebelde e ficar na ponte mesmo assim, fingindo que não ouviu o alarme.

Ela abre lateralmente (e não para cima como outras pontes móveis), e você vira o centro das atenções, parado no meio da ponte  no meio do mar.

Só tem que ficar atento à cor dos sinais na ponte: se uma luz laranja acender, quer dizer que ela ficará aberta por dez minutos.

Agora, se for uma luz azul, a ponte vai ficar aberta por uma hora. Quem não sabe disso é obrigado a passar uma hora ali em cima.Ponte Queen Emma_O que fazer em Curacao Ponte Queen Emma_O que fazer em Curacao

Mais uma atividade próxima da ponte é o museu Kura Hulunda. Tudo bem que pouca gente vai a Curaçao para ver museu, mas esse é realmente interessante.

Tem um acervo imenso sobre a escravidão no país, mas mais que isso acaba tratando também da escravidão no mundo já que 15 milhões descravas vieram da África para a América.

É um pouco pesado, então depois uma boa ideia é jantar no restaurante integrar a um hotel ao lado do museu, no Village Kura Hulanda Hotel. Parece uma vila europeia, inclusive com música ao vivo.

Kura Hulunda Museum_curacao

Dia 4 em Curaçao

É impossível não lembrar do Curaçao Blue em Curaçao. A bebida é de lá mesmo. Então vale a pena ir conhecer a fábrica, a Chobolobo.

Fica em uma mansão histórica do século 19, e em um tour guiado por US$ 12.50 dá para aprender como é feita a bebida a base da fruta laranja.

Fabrica de Curacao Blue

Depois, um passeio imperdível é até o Parque Nacional Siete Bocas. É um terreno bem inóspito, cheio de plantas nativas, pedras e um mar bravo. Mas por isso mesmo é bonito: por ser diferente dos outros cenários.

O parque é o lugar onde dá para entender a origem de Curaçao. A ilha originalmente  estava abaixo do mar,  por isso, nesse parque intocado caminhamos em um terreno todo de corais.

Ele tem sete entradas, mas a mais mais turística é a Tabla. É ali uma atração impressionante: uma caverna , onde entramos por um lado, e pelo outro, vemos as ondas do mar entrarem na cova.

Parque Nacional Shete Boka_o que fazer em Curacao

Parque Nacional Shete Bokas_o que fazer em CuracaoDe lá, geralmente os tours passam pela Playa Piskado, uma praia de pescadores onde dá para nadar com tartarugas! elas ficam soltas pelo mar e é só mergulhar para nadar com várias delas.

Tartarugas na Playa Piscado_O que fazer em Curacao

Dia 5 em Curaçao

O dia foi dedicado a escolher uma praia para ficar. Aluguei um carro e rodei pela ilha atrás das praias mais bonitas.

Sem enrolação: para mim, a praia mais linda de Curaçao é a Kenepa Beach, com uma cor azul fosforescente que nem uma piscina consegue ter.

Parece até que alguém colocou corante naquela água. É uma das praias mais buscadas, por isso cheguem o mais cedo possível. Foi assim que consegui nadar sozinha naquele mar inacreditável.

a praia de Kenepa Beach_O que fazer em Curacao a praia de Kenepa Beach_O que fazer em Curacao a praia de Kenepa Beach_O que fazer em Curacao

Depois, segui para a Kokomo Beach, uma praia com faixa de areia maior, daquelas ideais para ir com os amigos e ficar ali batendo papo. É disputado um balanço no meio do mar para tirar foto, mas com a maré alta não é fácil subir.

Kokomo Beach-o que fazer em Curacao

Dia 6 em Curaçao

Mais um dia para ficar de boa na praia. A minha escolhida foi a Cas Abao, praia ótima para fazer snorkel e para não pensar em nada.

A Cas Abao é uma praia privada (pois é, em Curaçao algumas praias são privadas), mas o preço é baixo e a estrutura é boa: custa cerca de US$ 3, mas tem bar, massagem, boias, cadeiras…(tudo à parte, claro).

Depois, fui até a Port Marie, outra praia linda, boa para snorkel e privada: custa US$ 3 para entrar e US$ 3 a cadeira.

praia Cas Abao - O que fazer em Curacao

Spa à parte na praia Cas Abou

praia Cas Abao - O que fazer em Curacao

A praia Cas abou tem bastante estrutura

A praia Port Mari

A praia Port Mari: é ótima para fazer snorkel

Dia 7 em Curaçao

Dia de voltar para o Brasil e de já sentir saudade dos dias vividos em Curaçao.

 

*Viagem a convite do VisiteCuracao. O conteúdo do post é independente, baseado na opinião livre da repórter.

Gostou do conteúdo que você leu? Então planeje aqui a sua viagem

Você não paga a mais por isso, tem direito a descontos e ajuda o Porta de Embarque a produzir ainda mais conteúdo

Seguro viagem com o melhor preço. Compare o preço de todos os seguros viagem, escolha o seu e ainda ganhe 5% de desconto

Reserve seu hotel no Booking.com. Você encontra ofertas de hospedagem e ainda pode cancelar quando quiser

Alugue seu carro comparando o preço em mais de 100 locadoras. E o que é melhor: sem IOF e com parcelas de até 12 vezes sem juros.

Viaje conectado. Tenha chip de internet no celular funcionando sempre bem e com desconto de 5%. É so digitar o cupom PORTADEEMBARQUE5.

0 Comentários
10

Você também pode gostar de